BíbliaNotícias

Jovem com escoliose grave recebe cura milagrosa em culto

A escoliose deforma a coluna em “S” ou “C”, causando:

  • Dores nas costas
  • Problemas respiratórios
  • Fadiga
  • Limitações de movimento

Casos leves não causam sintomas graves. Casos graves exigem tratamento: fisioterapia, colete ou cirurgia.

Enfrentando a Escoliose

Aos 14 anos, Esther (Holanda) foi diagnosticada com escoliose grave. A curvatura de 83 graus comprimia seus órgãos e causava dores intensas. Aos 17 anos, os médicos previram que ela viveria apenas até os 21 anos sem cirurgia. Mesmo com a cirurgia arriscada, Esther não desistiu da esperança. Ela se manteve firme em sua fé e buscou força em sua família e amigos.

Em um culto de cura, Esther experimentou algo extraordinário: a cura milagrosa da escoliose. A cura foi completa e instantânea: seus movimentos foram restaurados, a dor desapareceu e a depressão se dissolveu. Ela pôde voltar a fazer atividades que antes pareciam impossíveis.

Além da cura física, Esther encontrou paz interior, alegria e um novo sentido para a vida. Ela reconheceu que Deus nunca a abandonou e que sua fé, mesmo abalada pelas dificuldades, foi fundamental para alcançar essa graça extraordinária.

Testemunho de Fé e Inspiração

A história de Esther é um testemunho poderoso da fé inabalável e do poder transformador de Deus. Sua experiência inspira e motiva, demonstrando que mesmo em meio às situações mais desafiadoras, a esperança e a cura podem ser encontradas através da fé e da entrega a Deus.

Em suas próprias palavras, Esther declara: “Deus me deu muito mais do que eu poderia ter sonhado. Vou começar os estudos, tenho futuro de novo. E posso ser filha do Altíssimo. O velho já passou, e eis que o novo chegou.” A cura de Esther é um milagre que transcende os limites da medicina e da ciência. É um lembrete de que o amor de Deus é infinito e que sua misericórdia se manifesta de formas inesperadas e extraordinárias.

Lucas Alves

Jornalista e colaborador do Diário da Fé.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo